https://aquibelezaesaude.com/ads.txt

 


 


Uma novidade por trás dos benefícios do coentro

Uma novidade por trás dos benefícios do coentro

26 de julho de 2019

Quando se trata de alguns dos benefícios para a saúde do coentro, a medicina popular está certa desde o início, e novas pesquisas explicam por quê. Os cientistas descobriram os fundamentos moleculares dos efeitos anticonvulsivos do coentro.

Além do sabor culinário, o coentro pode ter benefícios significativos à saúde e propriedades de combate a doenças.

Registros históricos mostram que a planta teve usos medicinais desde a época de Hipócrates, e a tradicional medicina indiana ayurvédica elogiou os benefícios da planta para a digestão.

A medicina moderna também suporta alguns dos benefícios do coentro. Estudos em ratos descobriram que a planta Coriandrum sativum pode reduzir a dor e inflamação, e estudos de cultura celular descobriram que os extratos da erva podem proteger a pele contra a radiação ultravioleta (UV) B.

Além de suas propriedades antifúngicas e antioxidantes, um estudo sugeriu que o tempero pode impedir que uma substância potencialmente carcinogênica se forme na carne durante a cozedura a alta temperatura.

Finalmente, a medicina popular também elogiou os benefícios anticonvulsivos do coentro, enquanto alguns estudos em roedores confirmam seus efeitos anticonvulsivantes.

Mas, mais pesquisas foram necessárias para desvendar os mecanismos por trás dos efeitos que a medicina popular e os cientistas descreveram. Agora, um novo estudo analisa o funcionamento molecular por trás dos efeitos anticonvulsivos do coentro.

Geoff Abbott, Ph.D., professor de fisiologia e biofísica na Universidade da Califórnia Irvine School of Medicine é o investigador principal do estudo, que aparece no FASEB Journal.

Como coentro desencadeia canais de potássio

O Prof. Abbott e seus colegas examinaram os metabólitos da folha de coentro e descobriram que um em particular - o "aldeído gordo de cadeia longa (E) -2-dodecenal" - ativa vários canais de potássio.

Esses canais de potássio fazem parte da subfamília do canal de potássio controlado por voltagem [n] (KCNQ), e os pesquisadores sabem há algum tempo que a disfunção nesses canais pode causar crises epilépticas severas e resistentes ao tratamento.

Algumas das KCNQs que o metabólito do cilantro ativa incluem a "isoforma neuronal predominante" e a "isoforma cardíaca predominante", que controlam a atividade elétrica no coração e no cérebro.

Outros estudos computacionais revelaram o sítio de ligação molecular (E) -2-dodecenal, e experimentos químicos mostraram que o metabólito "recapitulou a ação anticonvulsivante do coentro", retardando as convulsões que os pesquisadores induziram com uma substância chamada pentilenotetrazol.

"Os resultados fornecem uma base molecular para as ações terapêuticas do coentro", escrevem os autores, acrescentando que suas descobertas "indicam que esta erva culinária onipresente é surpreendentemente influente nos canais clinicamente importantes da KCNQ".

"Descobrimos que o coentro, que tem sido usado como um medicamento anticonvulsivo tradicional, ativa uma classe de canais de potássio no cérebro para reduzir a atividade convulsiva", relata o Prof. Abbott.

"Especificamente, descobrimos que um componente do cilantro, chamado dodecenal, se liga a uma parte específica dos canais de potássio para abri-los, reduzindo a excitabilidade celular", explica ele.

"Esta descoberta específica é importante, pois pode levar a um uso mais eficaz do coentro como anticonvulsivante, ou a modificações do dodecenal para desenvolver drogas anticonvulsivantes mais seguras e eficazes". Prof. Geoff Abbott.

Nos Estados Unidos, existem 3,4 milhões de pessoas que vivem com epilepsia, de acordo com as estimativas mais recentes do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

"Além das propriedades anticonvulsivas, coentro também tem relatado anti-câncer, anti-inflamatório, antifúngico, antibacteriano, cardioprotetor, saúde gástrica e efeitos analgésicos", conclui o Prof. Abbott. "E a melhor parte é que é bom!"


Informações adicionais

Autor da matéria: Ana Sandoiu.
Avaliado por: Carolyn Robertson.
Fonte: Medical News Today.

Esclarecimentos: toda a autoria da matéria pertence a Ana Sandoiu. A matéria foi avaliada por Carolyn Robertson e publicada no Medical News Today. Foi colocado no site 100% da matéria. De qualquer forma, poderá ler também a matéria completa do autor Ana Sandoiu conforme publicada no site Medical News Today aqui. No Medical News Today a matéria está em inglês, mas, você pode traduzir a página para o português.