Caro visitante, novo endereço do site aqui, caso esteja acessando com endereço antigo. O novo endereço do site o conteúdo é o mesmo e poderá navegar de forma completamente segura.


 


Notícia: existe uma ligação entre o alho e o HIV?

Notícia: existe uma ligação entre o alho e o HIV?

O alho é um ingrediente comum que pode reduzir a pressão arterial e reduzir o risco de uma pessoa de certos tipos de câncer. No entanto, o que a pesquisa diz sobre alho e HIV? O consumo de alho pode ajudar pessoas com HIV ou causar mais danos?

O principal composto no alho é a alicina. O alho também contém outros compostos, incluindo polissulfetos dialílicos e ajoene.

Neste artigo, é analisado se o alho afeta ou não o sistema imunológico em pessoas com HIV. Também é abordado se o alho interage com medicamentos para o HIV.

HIV e alho

Algumas pessoas afirmam que o alho pode ajudar a combater o HIV devido às suas propriedades antivirais, como estimular o sistema imunológico.

O HIV ataca as células T, que são um tipo específico de célula no sistema imunológico. Células T combatem vírus e células tumorais no corpo. Quando o HIV destrói as células T, é mais difícil combater as infecções.

Uma pessoa com HIV é mais propensa a certos tipos de infecções, incluindo vírus. Tais infecções podem se tornar graves se a pessoa tiver um sistema imunológico enfraquecido.

Qualquer coisa que possa tornar o sistema imunológico mais forte pode ser benéfico para pessoas com HIV, e é por isso que algumas pessoas recomendam suplementos de alho.

Uma análise publicada no Journal of Immunology Research sugere que o alho pode melhorar a função do sistema imunológico, estimulando a produção de certos tipos de células.

Estas células incluem células assassinas naturais e macrófagos, que ajudam a combater infecções.

Os benefícios gerais para a saúde do alho também podem ser benéficos para pessoas com HIV. Por exemplo, de acordo com o Centro Nacional de Saúde Complementar e Integrativa, alguns estudos indicam que o alho pode ajudar a baixar os níveis de colesterol.

O que a pesquisa diz?

Uma teoria é que o alho contém aminoácidos sulfurados que estimulam a atividade do sistema imunológico e ajudam a combater infecções.

Um estudo de 2016 publicado no The Journal of Nutrition indica que as células T e as células natural killer poderiam responder às modificações da dieta, incluindo o alho.

O estudo incluiu adultos com idade entre 21 e 50 anos. Os cientistas dividiram os participantes em dois grupos. Durante 90 dias durante a temporada de gripes e resfriados, um grupo consumiu 2,56 gramas de extrato de alho e o outro grupo consumiu o placebo.

Os pesquisadores então avaliaram a função das células T e das células assassinas, juntamente com a doença autorreferida. Os resultados indicaram que a suplementação com alho pode melhorar a função das células imunes.

Aumentar o sistema imunológico pode ajudar pessoas com HIV a permanecerem saudáveis, mas estudos não confirmam que o alho pode prevenir infecções especificamente em pessoas que têm HIV.

Estudos maiores adicionais são necessários para determinar se o alho pode desempenhar um papel na melhoria do sistema imunológico das pessoas com HIV.

O National Cancer Institute reconhece que o alho pode ter algumas propriedades anticancerígenas.

Pessoas com HIV também são mais suscetíveis a certos tipos de câncer. Reduzir o risco de câncer em pessoas com HIV pode melhorar as perspectivas em alguns casos.

Em uma revisão sistemática e meta-análise, os cientistas analisaram 14 estudos que analisaram a ligação entre o consumo de alho e câncer de cólon. O consumo de alho não parece diminuir o risco de câncer colorretal.

Além disso, estudos que relatam um link para uma redução nos cânceres mais comuns associados ao HIV não estão disponíveis.

Alho e medicação para o HIV

Alguns estudos indicam que os suplementos de alho afetam os níveis de certos medicamentos antivirais que os médicos prescrevem para tratar o HIV.

Por exemplo, uma análise sistemática da pesquisa atual publicada no International Journal of STD & AIDS indica que algumas formas de suplementos de alho podem reduzir os níveis de certos medicamentos antivirais.

Vale a pena notar que alguns estudos que sugerem uma ligação entre o alho e a interferência com medicamentos para o HIV têm vários anos. No entanto, esses medicamentos mudaram e evoluíram ao longo do tempo.

Outro estudo envolveu 77 mulheres com HIV que autorreferiram o consumo de suplemento de alho. Os resultados mostraram que o uso a curto prazo de suplementos de alho não afetou a frequência com que tomavam medicamentos anti-retrovirais, a contagem de células CD4 ou a carga viral.

Os compostos no alho são complexos. Por exemplo, a alicina se transforma rapidamente em outros produtos químicos. Por essa razão, os pesquisadores não entendem completamente a interação do alho com vários medicamentos para o HIV.

Riscos e efeitos colaterais

O melhor tratamento varia dependendo da saúde geral de uma pessoa e outras condições médicas que possam ter. Diferentes regimes de tratamento do HIV envolvem diferentes classes de drogas, algumas das quais podem interagir de forma diferente com o alho.

Para pessoas com HIV que estão pensando em tomar suplementos de alho, há várias perguntas a serem feitas a um médico.

Por exemplo, é vital perguntar a um médico se os suplementos de alho são seguros para uso com os medicamentos que uma pessoa está tomando atualmente. Também é melhor discutir a dosagem ideal.

Uma discussão sobre os efeitos colaterais típicos do alho também é necessária. Os efeitos colaterais do suplemento de alho podem incluir:

■ Náusea;

■ Vômito;

■ Diarréia;

■ Mau gosto na boca;

■ Indigestão.

Uma vez que os efeitos colaterais do alho podem às vezes incluir problemas estomacais, ele pode interferir na ingestão de medicamentos para o HIV ou na nutrição adequada.

Como com qualquer suplemento, é essencial pesar os benefícios contra os riscos.

A Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos não monitora a qualidade ou a segurança dos suplementos, por isso é vital comprá-los de um fornecedor respeitável.

Resumo

Os pesquisadores ainda estão tentando determinar os benefícios medicinais do alho. É possível que os suplementos de alho possam ter alguns benefícios à saúde, mas seus efeitos sobre o tratamento do HIV ainda não estão claros.

Alguns estudos sugerem que as suplementações de alho interferem na medicação para o HIV, mas outros estudos não mostraram a mesma ligação.

Como a evidência não é conclusiva, as pessoas com HIV devem sempre conversar com seu médico antes de tomar suplementos de alho.

Autor da matéria: MaryAnn de Pietro.
Avaliado por: Shilpa Amin MD, CAQ, FAAFP.
Fonte da matéria: Medical News Today.

Informação: toda a autoria da matéria pertence a MaryAnn de Pietro. A matéria foi avaliada por Katherine Shilpa Amin MD, CAQ, FAAFP e publicada no Medical News Today. Foi colocado no site 100% da matéria. De qualquer forma, poderá ler a matéria completa do autor MaryAnn de Pietro conforme publicada no site Medical News Today aqui. No Medical News Today a matéria está em inglês, mas, você pode traduzir a página para o português. 11/01/2019.