Homem ficou bêbado sem ter usado álcool

Homem ficou bêbado sem ter usado álcool

Bêbado sem usar álcool

26 de dezembro de 2019

Um homem com síndrome de auto-cervejaria ficaria bêbado depois de comer carboidratos?

Por seis longos anos, um homem experimentaria crises misteriosas de embriaguez sem nunca beber uma gota de álcool.

Eventualmente, ele foi diagnosticado com uma condição rara que enchia seu intestino de bebida.

O homem de 46 anos tinha a síndrome da auto-cervejaria (ABS), uma condição que faz com que bactérias no intestino transformem carboidratos em álcool intoxicante, de acordo com um relatório do caso do homem, publicado em 5 de agosto na revista BMJ Open Gastroenterology. A condição surge quando as pessoas consomem alimentos e bebidas açucarados ou ricos em carboidratos e os jogam em uma névoa bêbada, como se tivessem bebido muitas cervejas, escreveram os médicos do homem.

O homem estava "incapaz de funcionar, e foi principalmente após as refeições", disse Fahad Malik, co-autor do relatório, ao programa Today. Os sintomas do homem surgiram depois que ele recebeu antibióticos em 2011 após uma "lesão traumática complicada no polegar", segundo o relatório. A medicação provavelmente interrompeu seu microbioma intestinal ou a comunidade de microrganismos, como bactérias e fungos, que vivem lá. "Ninguém acreditou nele" quando o homem disse que não bebia, disse Malik.

O paciente experimentou um "nevoeiro cerebral", exibiu um comportamento agressivamente incomum e foi preso por dirigir embriagado. Naquela ocasião, a concentração de álcool no sangue do homem registrou o dobro do limite legal, mas ele insistiu que não estava bebendo. O pessoal do hospital e a polícia não o compraram, observou o relatório.

Após sua prisão, a tia do homem encontrou um relato de caso descrevendo um paciente em Ohio que foi tratado por uma condição semelhante. Ela e o homem viajaram para a clínica de Ohio, onde os médicos vasculharam o cocô do homem em busca de micróbios embriagados. Eles descobriram amostras de fezes de Saccharomyces boulardii e Saccharomyces cerevisiae, também conhecidas como leveduras de cerveja. Nesse momento, eles suspeitavam que o homem tinha síndrome de autocervejaria, mas pediram que ele comesse alguns carboidratos, para ter certeza.

Oito horas depois, a concentração de álcool no sangue do homem aumentou para mais de 0,05% (perto do limite legal de álcool no sangue para dirigir), confirmando seu diagnóstico incomum.

Apesar de receber tratamento antifúngico e de ser submetido a uma dieta sem carboidratos, o homem ainda experimentava crises. Ele viu internistas, psiquiatras, neurologistas e gastroenterologistas na tentativa de controlar sua embriaguez espontânea. Durante esse período, um episódio extremo deixou o homem com um ferimento na cabeça perigoso e uma concentração potencialmente fatal de álcool no sangue de 0,4%. "Aqui também, a equipe médica se recusou a acreditar que ele não bebia álcool, apesar de suas persistentes negações", afirmou o relatório.

Então, o homem procurou ajuda no Centro Médico da Universidade de Richmond, em Staten Island, Nova York, onde os médicos o colocaram em antibióticos e o monitoraram de perto por cerca de dois meses. A terapia livrou com sucesso o intestino do paciente dos micróbios embriagados, embora, a certa altura, o homem "comeu pizza e bebeu refrigerante enquanto fazia esse tratamento, resultando em uma grave recidiva [síndrome da autocervejaria]", afirma o relatório. O paciente recebeu prescrições probióticas para promover o crescimento de bactérias intestinais úteis. Lentamente, o homem conseguiu incorporar carboidratos de volta à sua dieta.

Um ano e meio depois, o homem pode saborear uma fatia de pizza sem medo de intoxicação - ou potencial dano hepático induzido pelo álcool.


Fonte, crédito e publicação: Livescience.