https://aquibelezaesaude.com/ads.txt

 


 


Dor periumbilical: o que saber

Dor periumbilical: o que saber

16 de agosto de 2019

A dor periumbilical é uma sensação dolorosa em torno do umbigo. É uma queixa comum e, como muitas condições podem causar isso, pode ser um desafio para os médicos diagnosticarem.

Neste artigo, é explorado as causas e o tratamento da dor periumbilical. Além disso, analisaremos quando uma pessoa deve procurar atendimento médico de emergência.

O que é dor periumbilical?

A dor periumbilical ocorre na área circundante e inclui o umbigo.

Ao diagnosticar dor abdominal, os médicos devem saber onde a dor está localizada.

Por exemplo, quando uma pessoa tem apendicite, a dor geralmente começa em torno da região periumbilical e, em seguida, move-se para o lado inferior direito do abdômen. Às vezes, pessoas com apendicite podem relatar dor no lado direito e não na região periumbilical.

Os médicos podem precisar realizar mais exames para diagnosticar com precisão a dor periumbilical.

Causas

As causas da dor periumbilical podem variar desde desconfortos leves até emergências cirúrgicas.

As pessoas com esse tipo de dor podem ter dificuldade em dizer ao médico exatamente onde o sentem.

No entanto, dependendo da área do abdômen, a dor pode estar associada a muitas condições diferentes. Por exemplo, a dor na área superior direita do abdômen pode sugerir uma condição do fígado, enquanto a dor na área superior esquerda pode sinalizar um ataque cardíaco ou pancreatit.

Algumas das causas de dor periumbilical listadas abaixo podem se apresentar de diferentes maneiras. Por exemplo, algumas pessoas com gastrite, esofagite ou úlceras pépticas também podem sentir dor na área média superior do abdômen, ou na região epigástrica.

Hérnia umbilical

Se uma pessoa tiver uma hérnia umbilical, ela poderá notar uma protuberância na área do umbigo, além de dor. Uma hérnia umbilical ocorre quando um órgão ou parte de um órgão atravessa a parede abdominal.

Bebês e crianças pequenas são mais propensos a experimentar uma hérnia umbilical. Em adultos, as hérnias umbilicais são mais comuns em mulheres ou pessoas com aumento da pressão abdominal relacionada à gravidez ou à obesidade.

Apendicite aguda

Pessoas com apendicite precisam de um diagnóstico rápido e preciso, seguido por uma cirurgia para remover o apêndice. Apendicectomia é a cirurgia abdominal mais comum entre as crianças.

Pessoas com apendicite aguda podem experimentar dor periumbilical que migra para o lado direito. Eles também podem experimentar uma perda de apetite, febre e sensibilidade no lado direito.

Isquemia da artéria mesentérica

Os médicos definem a isquemia da artéria mesentérica como uma falta de fluxo sanguíneo para o intestino delgado.

As pessoas podem ter isquemia mesentérica aguda ou crônica. Na isquemia mesentérica aguda, as pessoas podem ter um início súbito de dor periumbilical, náusea e vômito.

Dissecção da aorta abdominal

Pessoas com dissecção aórtica devem procurar atendimento médico imediato.

Uma dissecção aórtica abdominal ocorre quando uma lágrima se forma na aorta, que é a principal artéria que fornece sangue ao corpo.

Os médicos estimam que 3 em cada 1.000 pessoas que se apresentam ao departamento de emergência por dor nas costas, no peito ou abdominal têm uma dissecção da aorta abdominal.

O cirurgião deve tratar a dissecção aórtica abdominal imediatamente, pois a mortalidade pode chegar a 50% nas primeiras 48 horas.

Obstrução do intestino delgado

Pessoas com obstrução do intestino delgado têm um bloqueio no intestino. Vários fatores podem causar esses bloqueios, incluindo:

Tecido cicatricial no abdome;

Hérnia;

Câncer;

Doença inflamatória intestinal;

Impactação de fezes;

Corpos estrangeiros.

Outra causa de obstrução do intestino delgado é o volvulus, um problema que ocorre quando um laço no intestino torce e bloqueia o intestino.

Pessoas com obstrução do intestino delgado podem experimentar:

Dor periumbilical;

Distensão abdominal ou uma barriga inchada;

Náusea;

Vômito;

Constipação leve a grave;

Em alguns casos, fezes soltas e gases.

As crianças também podem experimentar obstruções do intestino delgado.

Alguns médicos podem diagnosticar uma obstrução do intestino delgado realizando um exame físico. O uso de tomografia computadorizada, ultrassonografia e radiografias melhorou a precisão do diagnóstico da doença do intestino delgado.

A maioria das pessoas com doença do intestino delgado exigirá uma cirurgia para desbloquear o intestino. Os médicos podem tratar algumas obstruções usando uma técnica não cirúrgica chamada descompressão nasogástrica.

Gastrite, esofagite ou úlcera péptica

Pessoas com gastrite, esofagite ou úlcera péptica podem relatar dor periumbilical. Outras pessoas com essas condições podem sentir a dor na parte superior central do abdômen.

A gastrite pode ser aguda ou crônica. Algumas pessoas podem não relatar nenhum sintoma ou podem apresentar sintomas muito leves. Outras pessoas podem sentir dor abdominal, vômito e náusea.

Esofagite é uma inflamação do esôfago, que é o tubo que liga a boca ao estômago. Os sintomas mais comuns que as pessoas com esofagite relatam são dores no peito, dor ao engolir e dificuldade para engolir.

A maioria das pessoas com doença do intestino delgado exigirá uma cirurgia para desbloquear o intestino. Os médicos podem tratar algumas obstruções usando uma técnica não cirúrgica chamada descompressão nasogástrica.

Gastrite, esofagite ou úlcera péptica

Pessoas com gastrite, esofagite ou úlcera péptica podem relatar dor periumbilical. Outras pessoas com essas condições podem sentir a dor na parte superior central do abdômen.

A gastrite pode ser aguda ou crônica. Algumas pessoas podem não relatar nenhum sintoma ou podem apresentar sintomas muito leves. Outras pessoas podem sentir dor abdominal, vômito e náusea.

Esofagite é uma inflamação do esôfago, que é o tubo que liga a boca ao estômago. Os sintomas mais comuns que as pessoas com esofagite relatam são dores no peito, dor ao engolir e dificuldade para engolir.

Pessoas com esofagite podem sentir dor na região central superior do abdome ou na região periumbilical.

Pessoas com úlcera péptica têm úlceras no estômago e na parte superior do intestino delgado, ou no duodeno. Os sintomas da doença ulcerosa péptica variam dependendo da idade da pessoa e da localização das úlceras.

Pessoas com úlcera péptica podem relatar dor epigástrica ou periumbilical, inchaço, náuseas e vômitos, entre outros sintomas.

Dor periumbilical em crianças

Apendicite é o motivo mais comum para cirurgia abdominal de emergência entre crianças. Crianças com apendicite precisam de atenção médica imediata e um diagnóstico rápido.

As crianças podem se queixar de dor abdominal nas regiões periumbilical, central ou epigástrica. A dor acabará por se mover para o lado inferior direito do abdômen.

Pode ser difícil diagnosticar apendicite em crianças porque os sintomas típicos são a exceção e não a regra neste grupo etário. As crianças podem relatar sintomas vagos e inespecíficos, como dor de estômago, ou desenvolver febre ou vômito.

Os médicos podem precisar confirmar e esclarecer os sintomas de uma criança, realizando um exame físico ou realizando exames de sangue, ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Diagnóstico

A dor periumbilical é um sintoma de muitas condições, por isso, um médico perguntará sobre o histórico médico completo de uma pessoa.

Exames de sangue e técnicas de imagem, como raios-X, tomografia computadorizada, ultra-sonografia e ressonância magnética, são ferramentas úteis quando o médico não tem certeza do diagnóstico.

A dor periumbilical nem sempre sugere a presença de uma condição envolvendo o trato abdominal. Por exemplo, uma dissecção aórtica abdominal pode causar dor periumbilical, mas é um problema com o fluxo sanguíneo.

Tratamento

O tratamento da dor periumbilical depende da causa subjacente.

A cirurgia é o tratamento usual para uma hérnia umbilical. No entanto, pessoas com hérnias umbilicais podem desenvolver outra, mesmo após uma cirurgia bem-sucedida.

Se a causa for apendicite aguda, o cirurgião precisará remover o apêndice imediatamente. Fluidos, analgésicos e antibióticos também fazem parte do plano de tratamento.

Pessoas com isquemia da artéria mesentérica também precisarão de cirurgia. Os médicos darão fluidos e antibióticos para ajudar a prevenir uma infecção. Após a operação, eles prescreverão anticoagulantes para prevenir a recorrência.

Quando um médico confirma que uma pessoa tem uma dissecção aórtica abdominal, é necessária uma cirurgia de emergência. Os médicos geralmente também prescrevem betabloqueadores.

Pessoas com gastrite, esofagite ou úlcera péptica não precisam de cirurgia. Os médicos irão tratar essas condições usando medicamentos que podem reduzir a quantidade de ácido no estômago.

Quando ver um médico

As pessoas com dor periumbilical devem procurar atendimento médico, pois muitas vezes é difícil determinar o que está causando isso.

Algumas causas de dor periumbilical - como apendicite, obstrução do intestino delgado, hérnias e dissecção da aorta - requerem cirurgia.

As pessoas devem sempre levar as crianças com dor periumbilical a um médico. Certas condições, incluindo apendicite, devem receber tratamento imediato. Isso ocorre porque o risco de complicações aumenta com o tempo.

Gastrite, esofagite e úlcera péptica podem não exigir atenção médica de emergência, mas as pessoas devem falar com um médico sobre como aliviar os sintomas e reduzir o risco de complicações.

Resumo

Pessoas com dor periumbilical devem falar com um médico, que pode ajudar a determinar a causa subjacente. Os médicos podem achar difícil diagnosticar a dor periumbilical porque é um sintoma de uma variedade de condições.

Pessoas com dor periumbilical podem ter uma condição que afeta uma estrutura do trato abdominal ou um problema com o fluxo sanguíneo para essas estruturas. Muitas condições que causam dor periumbilical requerem cirurgia para tratá-las.

Pessoas com gastrite, esofagite e úlcera peptídica podem não necessitar de atendimento médico de emergência, mas devem ainda procurar aconselhamento de um médico.


Informações adicionais

Autor da matéria: Jessica Caporuscio PharmD.
Avaliado por: J. Keith Fisher, MD.
Fonte da matéria: Medical News Today.

Esclarecimentos: toda a autoria da matéria pertence a Jessica Caporuscio PharmD. A matéria foi avaliada por J. Keith Fisher, MD e publicada no Medical News Today. Foi colocado no site 100% da matéria. De qualquer forma, poderá ler também a matéria completa do autor Jessica Caporuscio PharmD conforme publicada no site Medical News Today aqui. No Medical News Today a matéria está em inglês, mas, você pode traduzir a página para o português.