Se você joga jogos no seu tempo livre, por que não receber por isso? Faça seu cadastro aqui, e é só começar a jogar e ganhar!


 


 


Cardiomiopatia: causas, sintomas e tratamento

Cardiomiopatia: causas, sintomas e tratamento

09 de julho de 2019

Cardiomiopatia é uma condição na qual o músculo cardíaco fica inflamado e aumentado. Porque é aumentado, o músculo do coração é alongado e fica fraco. Isso significa que não pode bombear sangue tão rápido quanto deveria.

Se o músculo cardíaco ficar muito fraco, você pode desenvolver  insuficiência cardíaca (uma condição grave que precisa de tratamento especial). A maioria das pessoas é apenas levemente afetada pela cardiomiopatia e pode levar uma vida relativamente normal. No entanto, pessoas que têm insuficiência cardíaca grave podem precisar de um transplante de coração.

A cardiomiopatia é diferente de um ataque cardíaco. Ataques cardíacos também danificam parte do músculo cardíaco, mas podem ser causados ​​por outra coisa.

Causas da cardiomiopatia

Existem quatro coisas principais que são conhecidas por causar cardiomiopatia.

Infecção viral

Uma infecção no coração pode danificar o músculo cardíaco, mas pode não aparecer durante meses ou mais.

Álcool

Beber mais do que a quantidade recomendada de álcool pode danificar o coração e o fígado. Às vezes, o dano pode ser revertido se você parar de beber completamente o álcool.

História de família

Se você tem um histórico familiar de cardiomiopatia, suas chances de desenvolvê-lo podem aumentar.

Ataque cardíaco

Um ou mais ataques cardíacos podem danificar o músculo cardíaco, levando ao tecido cicatricial. O tecido cicatricial no coração não se contrai como o músculo cardíaco normal, de modo que o resto do coração precisa trabalhar mais, tornando as partes saudáveis ​​cansadas e fracas.

Sinais e sintomas

Muitas pessoas com cardiomiopatia não apresentam nenhum sintoma. No entanto, você pode ter sintomas semelhantes à insuficiência cardíaca, porque a cardiomiopatia impede que o coração funcione corretamente. Esses sintomas incluem:

Falta de ar;

Cansaço;

Inchaço nas pernas e no abdômen devido ao acúmulo de líquido.

Tipos de cardiomiopatia

Cardiomiopatia dilatada

Esse tipo ocorre principalmente em adultos de 20 a 60 anos e em homens mais do que mulheres.

Quando as bombas do músculo cardíaco começam a esticar e se tornam mais finas (dilatar). Isso significa que o músculo cardíaco não contrai normalmente, por isso não consegue bombear o sangue muito bem. Com o tempo, o coração se torna mais fraco e a insuficiência cardíaca pode ocorrer.

Este tipo de cardiomiopatia também pode levar a:

Problemas na válvula cardíaca;

Batimentos cardíacos irregulares (arritmias);

Coágulos de sangue no coração.

Cardiomiopatia hipertrófica

A cardiomiopatia hipertrófica (CMH) é muito comum - afeta uma em cada 500 pessoas. Afeta pessoas de qualquer idade.

A CMH ocorre quando as células do músculo cardíaco aumentam e causam espessamento das paredes do coração. Esse espessamento pode bloquear o fluxo sanguíneo para fora do ventrículo. Se ocorrer um bloqueio, o coração deve trabalhar mais para bombear o sangue para o corpo. Isso pode causar:

Dor no peito;

Tontura;

Falta de ar;

Desmaio;

CMH pode ter outros efeitos no coração.

Miocardiopatia restritiva

A cardiomiopatia restritiva tende a afetar adultos mais velhos. Com este tipo de cardiomiopatia, o coração torna-se rígido porque o tecido anormal, como o tecido cicatricial, substitui o músculo cardíaco normal. Como resultado, o coração não consegue bombear corretamente e o fluxo sanguíneo para o coração é reduzido. Isto leva a problemas como uma insuficiência cardíaca ou arritmias.

Cardiomiopatia ventricular direita arritmogênica

Cardiomiopatia ventricular direita arritmogênica é um tipo raro de cardiomiopatia que ocorre quando o tecido muscular de uma parte do coração é substituído por tecido cicatricial.

Este processo interrompe os sinais elétricos do coração e causa batimentos cardíacos irregulares (arritmias). Os sintomas podem incluir palpitações e desmaios após a atividade física. Este tipo de cardiomiopatia geralmente afeta adolescentes ou adultos jovens.

Diagnóstico de cardiomiopatia

A cardiomiopatia geralmente é diagnosticada com radiografia de tórax, ecocardiograma (ultrassonografia do coração), exames de sangue e exame físico.

Infelizmente, porque algumas pessoas não sentem nenhum sintoma, o primeiro sinal pode ser a morte súbita.

Tratamento da cardiomiopatia

A cardiomiopatia pode ser tratada com medicamentos e tratamentos que aliviam os sintomas, bem como simples mudanças no estilo de vida.

Medicamentos comuns usados ​​para tratar a cardiomiopatia incluem:

Inibidores da ECA que bloqueiam os efeitos dos hormônios que afetam a pressão sanguínea para dilatar os vasos sanguíneos, o que ajuda a reduzir a carga de trabalho do coração.

Pílulas fluidas (diuréticos) que ajudam a remover o excesso de fluido do corpo.

Betabloqueadores que impedem o efeito de nervos que atuam no coração e em outras partes do corpo para reduzir a frequência cardíaca e a pressão sanguínea, o que reduz a carga de trabalho do seu coração.

Digoxina, que ajuda o coração a bombear mais eficientemente e a regular um ritmo cardíaco anormal (arritmia).

Dependendo do tipo de cardiomiopatia, a cirurgia ou um dispositivo implantável (como um desfibrilador cardíaco implantável) também pode ser usado para gerenciar a condição.

Gerenciando cardiomiopatia

Além de tomar os medicamentos prescritos e fazer o tratamento cirúrgico conforme necessário, você pode ajudar a reduzir os efeitos da cardiomiopatia e o risco de mais problemas cardíacos ao fazer mudanças no estilo de vida.

Seja livre de fumo

Parar de fumar é uma das coisas mais importantes que você pode fazer para reduzir o risco de novas doenças cardíacas. Respirar a fumaça de outras pessoas (fumaça de segunda mão) também é prejudicial.

Coma menos sal

O sal faz com que o seu corpo retenha o líquido, o que pode aumentar e sobrecarregar o seu coração. Para reduzir a quantidade de sal que você come, tente:

Coma muita fruta e legumes frescos;

Escolha de alimentos rotulados como "sem adição de sal", "baixo teor de sal" ou "com sal";

Evite temperos altamente salgados, alimentos processados ​​e alimentos para viagem que são ricos em sal;

Usar alho, ervas e especiarias em vez de sal;

Evite adicionar sal ao cozimento.

Limite de álcool

O álcool pode prejudicar o seu coração. Converse com seu médico sobre quanto álcool você bebe. Com cardiomiopatia leve, uma bebida pode ser boa, mas seu médico pode recomendar que você reduza a quantidade de álcool que você bebe ou pare de beber completamente.

Faça atividade física regular

Seu corpo foi projetado para se mover. Atividade física regular, de intensidade leve a moderada, é boa para o coração e é uma ótima maneira de se divertir.

Tente fazer algum tipo de atividade física, como caminhar, andar de bicicleta, levantar pesos leves e alongar-se a cada dia. Faça o que puder sem ficar sem fôlego ou exausto. Você deve ser capaz de falar normalmente, mas não conseguir cantar.

Converse com seu médico sobre o tipo e o nível de atividade física adequado para você. Evite atividades extenuantes, a menos que seu médico as tenha aprovado.

Onde obter ajuda

Ligue para chamar uma ambulância em uma emergência médica.

Veja seu médico.

Visite um médico depois do horário.

Procure atendimento médico.

Lembrar

A cardiomiopatia é uma condição em que o coração fica inflamado e enfraquecido.

Existem várias causas de cardiomiopatia, mas nem todos apresentam sintomas.

A cardiomiopatia pode ser tratada com medicação e cirurgia, mas uma das estratégias mais importantes no manejo dessa condição é adotar um estilo de vida saudável.


Fonte, crédito e publicação: Healthywa.


 

https://aquibelezaesaude.com/ads.txt