Caro visitante, novo endereço do site aqui, caso esteja acessando com endereço antigo. O novo endereço do site o conteúdo é o mesmo e poderá navegar de forma completamente segura.


Superbug: fungo mortal se espalha em todo o mundo

Superbug: fungo mortal se espalha em todo o mundo

08 de abril de 2019.

Uma infecção fúngica mortal que é resistente aos principais medicamentos antimicrobianos está se espalhando globalmente, e os cientistas não têm certeza de onde vieram.

O fungo, chamado Candida auris, é uma levedura que normalmente vive inofensivamente na pele e nas membranas mucosas, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). De acordo com o The New York Times, uma forma do fungo resistente a medicamentos surgiu em todo o mundo, inclusive na Inglaterra, Espanha, Índia, Venezuela e Estados Unidos

"É uma criatura da lagoa negra", disse Tom Chiller, chefe do ramo de fungos do CDC. "Borbulhou e agora está em toda parte".

Ameaça crescente

O CDC emitiu pela primeira vez um alerta sobre o C. auris resistente a medicamentos em 2016 e hoje o descreve como uma "séria ameaça". A levedura, de acordo com esse alerta, foi descoberta pela primeira vez em 2009 a partir da descarga de orelha de um paciente no Japão, embora um estudo retrospectivo de amostras médicas antigas tenha encontrado uma infecção desde 1996 na Coreia do Sul.

A maioria das cepas de C. auris é resistente a pelo menos uma classe de drogas antifúngicas, de acordo com o CDC, e mais de um terço das cepas são resistentes a duas. Um subconjunto de cepas é resistente a todas as três classes de drogas antifúngicas disponíveis.

O que torna a infecção ainda mais alarmante é que o fungo persiste nas superfícies e foi documentado se espalhando de pessoa para pessoa dentro de hospitais e clínicas. Metade dos residentes testados em algumas casas de repouso na área de Chicago foram positivos para C. auris, relatou o Times. Até agora, o CDC recebeu 587 notificações de casos nos Estados Unidos.

As infecções por C. auris são mais letais para aqueles que já têm sistemas imunológicos comprometidos, incluindo os idosos e os muito jovens. A infecção geralmente se espalha nos ambientes de cuidados de saúde, muitas vezes afetando aqueles que já estão em saúde precária. Os sintomas iniciais são febre, dores e fadiga, e a doença pode ser fatal, particularmente se a levedura se disseminar para o sangue, cérebro ou coração.

Origem de uma ameaça

As cepas de C. auris resistentes a drogas são geneticamente distintas em diferentes continentes, sugerindo que a resistência a drogas está evoluindo separadamente, mas simultaneamente em todo o mundo. Não está claro o que está causando esse aumento nessas "superbactérias" fúngicas, mas uma teoria é que o uso disseminado de fungicidas nas plantações está levando C. auris a desenvolver resistência.

Fungicidas chamados azóis foram implicados na ascensão de outro fungo resistente a drogas, o Aspergillus fumigatus, de acordo com pesquisa de 2012 na revista PLOS Pathogens. Alguns pesquisadores acham que esses mesmos antifúngicos abriram um nicho para as cepas mais resistentes a fungicidas de C. auris sobreviverem.

O uso excessivo de antibióticos em animais de criação criou uma crise semelhante com bactérias resistentes a antibióticos. Agora, o CDC está trabalhando para monitorar a genética da C. auris e entender como impedir sua disseminação. Isso pode ser um desafio, de acordo com o Times. No Royal Brompton Hospital, perto de Londres, os funcionários usaram pulverizadores especiais para extinguir toda a sala em peróxido de hidrogênio morto por micróbios, informou o jornal. Tudo morreu - exceto C. auris.

Autor da matéria: Stephanie Pappas, Live Science contribuinte. Fonte da matéria: Livescience.

Informação: toda a autoria da matéria pertence a Stephanie Pappas, Live Science contribuinte. A matéria foi publicada no Livescience. Foi colocado no site 100% da matéria. De qualquer forma, poderá ler a matéria completa do autor Stephanie Pappas, Live Science contribuinte conforme publicada no site Livescience aqui. No Livescience a matéria está em inglês, mas, você pode traduzir a página para o português. 08/04/2019.