Novo endereço do site aqui, caso esteja acessando com endereço antigo.


Saúde: sinais e sintomas de DST em homens

Saúde: sinais e sintomas de DST em homens

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) ou infecções sexualmente transmissíveis (DSTs) podem afetar qualquer pessoa, mas os sinais e sintomas podem ser diferentes para homens e mulheres.

É importante que os homens estejam cientes dos sinais e sintomas das ISTs comuns, pois são menos propensos do que as mulheres a fazer exames para essas infecções. Com o tratamento precoce, as pessoas com DSTs têm uma perspectiva excelente.

Neste artigo, foi analisado algumas das ISTs mais comuns em homens e discutido os sinais e sintomas, métodos de prevenção e opções de tratamento disponíveis.

Sinais e sintomas de ITS em homens

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as pessoas em todo o mundo contraem mais de 1 milhão de DSTs todos os dias.

Em alguns casos, um STI não causa nenhum sintoma visível, portanto, é possível ter um sem saber. As pessoas também podem confundir quaisquer sintomas que se desenvolvam com os de outras condições.

Abaixo, foi discutido as ISTs mais comuns e os sinais e sintomas que podem ocorrer em homens.

Clamídia

A clamídia é uma IST bacteriana que uma pessoa infectada pode transmitir fazendo sexo anal, oral ou vaginal sem preservativo. Os homens podem ter clamídia na uretra, no reto ou na garganta.

As pessoas referem-se à clamídia como uma infecção "silenciosa" porque as pessoas muitas vezes não sabem que a têm. A maioria das infecções por clamídia em homens não causa nenhum sintoma, mas alguns homens podem desenvolver sintomas várias semanas após a infecção.

Sinais e sintomas comuns de clamídia na uretra em homens incluem:

■ Descarga do pênis;

■ Dor ao urinar;

■ Queimação ou coceira ao redor da abertura do pênis;

■ Dor e inchaço em um ou ambos os testículos.

As infecções por clamídia no reto são menos comuns, mas ocorrem. Embora essas infecções geralmente não tenham sintomas, elas podem causar:

■ Dor retal;

■ Sangramento;

■ Descarga.

Em raras ocasiões, a clamídia pode infectar o epidídimo, que é o tubo que transporta os espermatozóides dos testículos para o ducto deferente. Isso pode causar:

■ Febre;

■ Dor;

■ Em casos raros, problemas de fertilidade.

Diagnóstico

Os profissionais de saúde geralmente coletam amostras de urina para testar a clamídia em homens, mas podem usar um cotonete para obter uma amostra da uretra.

Tratamento

Curar a clamídia com antibióticos orais é relativamente simples. O tratamento consiste em uma dose única ou em um ciclo de 7 dias de um antibiótico. As infecções repetidas são comuns, por isso, é aconselhável fazer outro teste para clamídia após o término do tratamento.

Herpes

O herpes é uma infecção pelo vírus herpes simplex (HSV). Existem dois tipos de vírus herpes simplex que afetam diferentes partes do corpo:

O vírus herpes simplex tipo 1 (HSV-1), também chamado de herpes oral, causa herpes labial na e ao redor da boca.

O vírus herpes simplex tipo 2 (HSV-2) quase sempre se propaga através do sexo sem preservativo e causa o herpes genital.

Muitas pessoas que têm herpes não apresentam nenhum sintoma, e as pessoas que o fazem podem ter dificuldade em identificá-las.

Os sintomas geralmente aparecem 2 a 12 dias após a infecção. Às vezes, bolhas de herpes são tão suaves que podem se assemelhar a picadas de insetos, pêlos encravados ou queimaduras de lâmina.

Sinais e sintomas comuns de herpes em homens incluem:

■ Bolhas dolorosas ou feridas abertas em ou ao redor da boca;

■ Bolhas nos órgãos genitais, reto, nádegas ou coxas;

■ Formigamento, coceira ou sensação de queimação da pele ao redor das bolhas;

■ Dores musculares na parte inferior das costas, nádegas e coxas;

■ Febre;

■ Perda de apetite.

Diagnóstico

Os prestadores de serviços de saúde podem usar os seguintes testes para ajudar a diagnosticar o herpes:

Reação em cadeia da polimerase (PCR). Este teste examina o DNA do indivíduo para ver se eles têm herpes. Pode ser útil quando as pessoas não apresentam sintomas visíveis.

Exames de sangue

Uma cultura de células. Os profissionais de saúde usam esse teste quando alguém tem feridas visíveis em torno de seus genitais. O teste envolve coletar uma amostra do fluido dentro de uma das feridas.

Tratamento

Não há cura para o herpes, e as pessoas podem experimentar surtos recorrentes ao longo do tempo. Os tratamentos concentram-se na gestão dos sintomas e na extensão do tempo entre os surtos.

Gonorréia

A gonorréia é uma infecção pela bactéria Neisseria Gonorrhoeae. A gonorréia pode afetar a uretra, o reto ou a garganta. As pessoas podem transmitir essas bactérias através do sexo vaginal, anal ou oral sem preservativo.

A maioria dos homens com gonorreia não apresenta sintomas. Quando a gonorréia na uretra causa sintomas, geralmente aparecem de 1 a 14 dias após a infecção.

Sinais e sintomas comuns de gonorreia em homens incluem:

■ Dor ao urinar;

■ Descarga branca, amarela ou cinzenta da uretra;

■ Dor nos testículos;

■ Coceira e dor no ânus;

■ Movimentos intestinais dolorosos;

■ Descarga sangrenta do ânus.

Tratamento

Os profissionais de saúde podem tratar a gonorreia com antibióticos. O CDC recomenda terapia dupla com ceftriaxona e azitromicina. A medicação irá parar a infecção, mas não reparará nenhum dano causado pela doença.

Os profissionais de saúde estão cada vez mais preocupados com o aumento da gonorréia resistente a antibióticos, o que tornará o tratamento bem-sucedido muito mais difícil, se não impossível.

Sífilis

Bactérias também são responsáveis ​​pela sífilis, que as pessoas transmitem através do sexo vaginal, anal ou oral sem preservativo.

Homens que fazem sexo com homens (HSH) têm um risco maior de contrair sífilis. Quase 70% dos diagnósticos de sífilis primária e secundária em 2017 ocorreram em HSH.

A sífilis também é conhecida como "O Grande Pretendente" porque seus sintomas podem se assemelhar aos de outras doenças. Os sintomas geralmente aparecem 10 a 90 dias após a infecção, com 21 dias sendo a média.

Os sintomas da sífilis progridem em estágios conhecidos como primário, secundário, latente e terciário. Cada estágio tem seu próprio conjunto de sintomas que podem durar semanas, meses ou até anos.

Os sintomas da sífilis primária incluem:

■ Uma ferida pequena e firme em que as bactérias inicialmente penetravam no corpo, geralmente no pênis, no ânus, na boca ou nos lábios;

■ Feridas também podem aparecer nos dedos ou nádegas;

■ Gânglios linfáticos inchados no pescoço, virilha ou axilas.

A sífilis secundária pode causar os seguintes sinais e sintomas:

■ Erupções cutâneas nas palmas das mãos ou solas dos pés;

■ Grandes lesões cinzentas ou brancas na boca, ânus, axilas ou virilha;

■ Fadiga;

■ Dores de cabeça;

■ Uma dor de garganta;

■ Gânglios linfáticos inchados;

■ Perda de cabelo;

■ Dores musculares.

O estágio latente ou "oculto" da sífilis, durante o qual não há sintomas visíveis, pode durar vários anos.

A sífilis terciária é muito rara. Pode causar complicações graves à saúde que afetam múltiplos sistemas orgânicos. Os sintomas da sífilis terciária incluem:

■ Meningite;

■ Acidente vascular encefálico;

■ Demência;

■ Cegueira;

■ Problemas cardíacos;

■ Dormência.

Diagnóstico

É provável que os profissionais de saúde realizem exames de sangue ou examinem um pouco do fluido de uma ferida para verificar a sífilis.

Tratamento

Um profissional de saúde pode recomendar um antibiótico chamado benzilpenicilina benzatina para tratar a sífilis primária, secundária e latente precoce. As pessoas alérgicas à penicilina precisarão usar um antibiótico diferente, como doxiciclina ou azitromicina.

Embora os antibióticos evitem que a infecção progrida, eles não podem reparar qualquer dano permanente resultante da infecção.

Papilomavírus humano (HPV)

O papilomavírus humano ( HPV ) é um grupo de vírus relacionados, compreendendo mais de 150 cepas.

O HPV é uma das ISTs mais comuns. De acordo com o CDC, o HPV afeta principalmente pessoas no final da adolescência e início dos 20 anos.

A maioria dos homens que contraem o HPV nunca desenvolve sintomas, mas alguns podem notar sintomas vários meses ou mesmo anos após a infecção inicial. Os sintomas mais comuns do HPV em homens são verrugas na boca ou na garganta e verrugas genitais, que são pequenos inchaços ao redor do pênis ou ânus.

Prevenção

O HPV é incomum entre as ISTs, pois existe uma vacina que pode preveni-lo.

Na verdade, existem duas vacinas contra o HPV aprovadas pela FDA, chamadas Gardasil e Cervarix. Essas vacinas são eficazes contra os tipos 16 e 18 do HPV, que são cepas de alto risco porque são responsáveis ​​por causar certos tipos de câncer.

O CDC recomenda que crianças de 11 a 12 anos recebam a vacina contra o HPV para protegê-las contra complicações da infecção.

O CDC também recomenda que meninos mais velhos e homens até 26 anos recebam a vacina contra o HPV se não receberam a vacina quando eram mais jovens.

Diagnóstico

Atualmente, não há triagem de rotina para verificar os homens quanto ao HPV e não há testes HPV confiáveis. No entanto, um profissional de saúde pode ser capaz de fazer um diagnóstico baseado em quaisquer verrugas genitais presentes.

Tratamento

A maioria dos casos de HPV resolve-se sem tratamento e não causa complicações de saúde. No entanto, se o HPV não desaparecer e a pessoa não receber tratamento, isso pode causar problemas de saúde, incluindo certos tipos de câncer.

Não há tratamento aprovado para o HPV, mas é possível tratar os sintomas e complicações. Por exemplo, os homens podem usar medicações tópicas e orais para tratar as verrugas genitais.

Vírus da imunodeficiência humana (HIV)

O vírus da imunodeficiência humana ( HIV ) é um vírus que ataca as células do sistema imunológico do corpo.

O HIV se espalha pelo contato com fluidos corporais infectados, como sêmen, fluidos vaginais e sangue. Ter relações sexuais sem camisinha é o método mais comum de transmissão.

Muitas pessoas que têm o HIV experimentam sintomas semelhantes aos da gripe dentro de 2 a 6 semanas após a infecção. Sinais e sintomas comuns de HIV em homens são:

■ Febre;

■ Uma dor de garganta;

■ Uma erupção cutânea;

■ Dores de cabeça;

Outros sintomas podem incluir:

■ Fadiga;

■ Dor articular e muscular;

■ Gânglios linfáticos inchados;

■ Náusea e vomito.

Tratamento

Não há cura para o HIV, mas os profissionais de saúde podem prescrever um tratamento eficaz para prevenir sintomas, transmissão e progressão para o estágio 3 do HIV, que também é chamado de síndrome da imunodeficiência adquirida ( AIDS ).

Os prestadores de cuidados de saúde utilizam terapia anti-retroviral (ART) para tratar o HIV. ART reduz a quantidade de HIV no sangue e outros fluidos corporais.

Quando as pessoas tomam esses medicamentos de acordo com as instruções, elas eliminam o risco de transmitir a doença a outras pessoas. Quando o HIV é indetectável, não é transmissível, o que significa que não pode passar de uma pessoa para outra.

Com os tratamentos atualmente disponíveis, é raro o HIV se transformar em AIDS.

Hepatite B

A hepatite é uma inflamação do fígado, que geralmente ocorre devido a uma infecção viral. Um dos vírus mais comuns da hepatite é o vírus da hepatite B (HBV). O HBV pode se espalhar entre pessoas em sangue, sêmen e outros fluidos corporais.

Os profissionais de saúde classificarão a infecção por HBV como aguda, significando que é temporária e durará algumas semanas, ou crônica, caso em que será uma condição grave e vitalícia.

A maioria das pessoas com hepatite B não apresenta sintomas, e aqueles que os fazem podem confundi-los com sintomas de resfriado ou gripe. Quando os sintomas ocorrem, eles desenvolvem uma média de 90 dias após a exposição ao HBV.

Os sinais e sintomas da hepatite B incluem:

■ Febre;

■ Fadiga;

■ Perda de apetite;

■ Dor abdominal;

■ Náusea;

■ Vômito;

■ Dores musculares e articulares;

■ Icterícia, que causa urina escura e um amarelecimento da pele.

Prevenção

A hepatite B é evitável. Tal como acontece com o HPV, existe uma vacinação disponível que protege contra a hepatite B. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda pelo menos três doses da vacina contra hepatite B para todas as crianças.

Diagnóstico

Os profissionais de saúde procurarão sinais de danos no fígado, como icterícia. Alguns testes que podem ajudar a diagnosticar a hepatite B incluem:

■ Exames de sangue;

■ Ultra-som do fígado;

■ Biópsia hepática.

Tratamento

Atualmente, não há tratamento disponível para a hepatite B aguda. No entanto, as pessoas podem usar medicamentos para a hepatite B crônica, e os cientistas estão desenvolvendo novos medicamentos.

Pessoas com hepatite B crônica precisarão de exames médicos regulares para detectar sinais de doença hepática.

Outlook

Muitos homens que contraem uma IST não apresentam nenhum sintoma, o que significa que o número real de casos de ISTs provavelmente será muito maior do que o número de casos atendidos pelos profissionais de saúde.

Com o tratamento, homens com DSTs têm uma boa perspectiva. No entanto, as infecções podem se tornar condições crônicas e duradouras se não receberem tratamento.

Os homens podem prevenir DSTs usando preservativos durante o sexo. Também é possível evitar algumas ITSs com vacinas.

Os homens que são sexualmente ativos devem garantir que eles tenham testes para ISTs. A detecção precoce dessas infecções permitirá um tratamento mais rápido e impedirá que os homens espalhem infecções a outras pessoas.

Autor da matéria: Jamie Eske.
Avaliada por: Vincent J. Tavella, MPH. Fonte da matéria: Medical News Today.

Informação: toda a autoria da matéria pertence a Jamie Eske. A matéria foi avaliada por Vincent J. Tavella, MPH e publicada no Medical News Today. Colocamos no site 100% da matéria. De qualquer forma, poderá ler a matéria completa do autor Jamie Eske conforme publicada no site Medical News Today aqui. No Medical News Today a matéria está em inglês, mas, você pode traduzir a página para o português. 25/10/2018.